Anápolis

Com a lanchonete fechada temporariamente, ela foi até os clientes

O decreto do coronavírus restringiu o funcionamento do seu estabelecimento. Jéssica então passou a fazer tortas e entregar em casa

      A comerciante Jéssica Peixoto, de Anápolis, é um exemplo de que é preciso se reinventar em tempos de crise. Ao ver o faturamento do seu quiosque de lanches praticamente zerar diante da obrigação de suspender as atividades devido à pandemia do coronavírus, ela resolveu fazer e entregar tortas a domicílio. 

      A mudança de foco tem surtido efeito, graças à qualidade do quitute e, sobretudo, a perseverança de Jéssica em fazer com que seu negócio dê certo. Mas é preciso conhecer um pouco mais da sua história recente para entender a guinada. 

      A lanchonete Rainha da Corte fica na Praça Americano do Brasil, na região central de Anápolis. O ponto pertence à família de Jéssica há 16 anos. Antes era uma banca de revistas, mas quando esse tipo de negócio deixou de ser atrativo, decidiu-se por vender salgados. “Minha mãe que tomava conta, até que se aposentou e há três anos estou à frente do estabelecimento”, conta Jéssica, que é formada em contabilidade, mas que deixou o diploma na gaveta para empreender. 

      A pandemia não foi o primeiro baque recente para a lanchonete. No ano passado o espaço teve que ficar três meses fechado devido à reforma – necessária, destaca-se – promovida pela prefeitura na praça. O espaço revitalizado foi entregue em setembro de 2019 e, meses depois, veio o coronavírus e toda a crise que assola o mundo.

      Jéssica conta que o fundo financeiro de emergência que ela tinha foi embora já no período fechado durante a reforma da praça. Com a crise, a situação ficou crítica para ela e os seus dois funcionários. Foi aí que veio a ideia da irmã de produzir para vender as tortas que tanto faziam sucesso entre amigos e familiares. 

      “Inicialmente tentei colocar na lanchonete, mas o público não era aquele, eles gostam mais de salgado. Foi quando tive a iniciativa de vender pela internet. No primeiro dia vendi três, no outro 20 e está sendo assim, me surpreendendo a cada dia. Em uma semana alcancei a venda de 100 tortas”, ressalta Jéssica. 

      Segundo ela, a aceitação está melhor do que esperava. “Eu tinha confiança no meu tempero, porém estão gostando bastante e eu fico muito feliz com isso, porque é uma forma de estar na casa das pessoas, deixando um pouquinho de mim e do que eu gosto de fazer”, comenta a empreendedora.

      Soma-se ao sucesso imediato do novo negócio o fato de Jéssica ter talento para as redes sociais. Seu perfil no Instagram conta a história do seu dia a dia de trabalho e as tortas bem feitas, de quatro queijos e de frango, em um tamanho generoso e preço acessível, chamam a atenção. 

      Jéssica encontrou um novo filão para seu negócio diante da crise, mas deixa claro que não abre mão do empreendimento da família. “Quero que conheçam meu trabalho e minha lanchonete”, frisa. Lá, salgados e pasteis são carros-chefes, ao lado do famoso pão de queijo com linguiça. 

      A comerciante faz planos. “Espero poder contratar mais pessoas para me ajudar na produção, porém continuar com o gostinho caseiro, aquele toque de carinho que tenho em fazer cada torta”. 

      A simpatia talvez seja uma característica para esse tipo de negócio. Jéssica revela que escreveu bilhetes a mão, que foram junto com suas tortas na primeira semana que começou o novo negócio. “Queria que cada família sentisse o prazer e felicidade ao comer a minha torta”. A dedicação em cada unidade que sai do forno tem outra explicação: trata-se de uma receita ensinada pela avó, que segundo Jéssica, é “para toda a vida”. 

Serviço: 

Tortas da Jeh 

Instagram: @jejehpeixoto 

Whatsapp: (62) 99160-8575 

Informações para a imprensa: 

No Sebrae: Adriana Lima - (62) 3250-2236 / 2252 / 99456-2491 

Na Ideorama Comunicação em Anápolis: Marcos Vieira - (62) 98124-7487