Rio Verde

Inovações na fazenda com ajuda do Sebrae

Orientações possibilitaram o avanço tecnológico do trabalho de genética no gado

       Trabalhando com agricultura e pecuária na sua propriedade rural, o engenheiro mecânico e produtor rural, Reinaldo Caetano da Silva, desenvolve um trabalho de melhoramento genético do gado e, graças ao auxílio do Sebrae Goiás, ele pôde trazer algumas inovações em sua atividade. “Se não fosse a contribuição da entidade, normalmente não teria feito as mudanças”, ressalta. 

       Reinaldo frisa que o Sebrae possibilitou o avanço tecnológico do trabalho de genética realizado na fazenda. “E avançou numa velocidade que não tínhamos noção”, diz. Depois da ajuda, a fazenda continuou a desenvolver a inseminação com o gado bovino, mas aboliu essa técnica com os touros. “Enfim, foi um passo imenso e uma quebra de paradigmas espantosa. Isso porque o Sebrae disponibilizou um veterinário que viu a possibilidade de nosso gado evoluir ainda mais”, lembra. 

        Quando Reinaldo entendeu que tudo estava bem encaminhado na propriedade, outras inovações foram sugeridas, pois além das inseminações, o veterinário recomendou a técnica de trabalhar com transplante de embrião. “Nesse caso, o embrião é transferido para uma vaca com boa característica de maternidade, ou seja, é amorosa, dá muito leite e cria bem, por exemplo. Então, houve uma grande evolução”, diz.  

      Segundo o pecuarista, uma vantagem é fazer a inseminação com tempo fixo, assim como é trabalhando na fazenda. “Ou seja, o profissional faz determinados manejos e aplica alguns remédios e hormônios, visando que todas as vacas sejam inseminadas num intervalo de três ou quatro horas. Logo, os bezerros nascerão num intervalo de cinco ou sete dias. É um lote bem homogêneo.” Segundo ele, o índice de sucesso na inseminação, dentro da propriedade rural, é em torno de 65%.  

         Nesse processo, o engenheiro destaca as facilidades e benefícios oferecidos aos produtor rural, já que é possível nascer cinco, oito ou dez bezerros somente em um dia. “Enfim, o profissional consegue fazer muita coisa. Os produtores induzem para que o cio das vacas ocorra no mesmo momento. Assim, é realizada a inseminação”, explica. 

         Caso alguma vaca, mesmo que na observação ou no trabalho de inseminação, não consiga emprenhar, Reinaldo avisa que há duas opções. “Podemos descartar a ideia de a vaca gerar o bezerro ou então damos outra chance dessa possibilidade acontecer. Isso depende do animal”, afirma. 

         De acordo com o engenheiro, a aplicação de novos métodos trouxe resultados positivos que vêm de acordo com que é proposto pelos produtores da fazenda. “Já estamos há quase cinco anos nessa parceria com o Sebrae e posso dizer que a qualidade dos produtos que temos é fantástica”, avalia. Além do mais, Reinaldo ressalta que a ajuda da entidade, por meio da oferta de subsídio, foi fundamental para seguir adiante nas técnicas implantadas dentro da propriedade.

         Para realçar os benefícios alcançados na propriedade rural, ele diz que o serviço consiste em trazer uma genética de precocidade ao gado. Como exemplo, lembra que quando seu pai criava bezerros há mais de 40 anos, os animais eram abatidos depois de quatro ou cinco anos, diferente da realidade de hoje que é em torno de 24 meses. “Estou satisfeito com os resultados e a evolução é absurda”, conclui. 

 

Mais informações para imprensa:

No Sebrae: Adriana Lima – (62) 3250-2236 / 2252 / 99456-2491

Na Ideorama Comunicação em Rio Verde: Valério Delfino (64) 9 9211 9284