Empreendimentos sustentáveis inspirados no Rio Araguaia ganham o país

Ecojoias e projeto educativo são apenas uma parte da ambição de empresária goiana, que já alcança visibilidade nacional

Goiana de família mineira, Anajuly Carneiro já era ligada ao processo criativo e empreendedor muito antes de adentrar o mundo da joalheria. Em sua juventude, atuou no mundo da moda em Belo Horizonte e, ao voltar a Goiânia, montou uma confecção e posteriormente abriu duas lojas.

Outra presença constante que viria a impactar toda a sua trajetória – desde o estilo de vida até os seus processos criativos – seria a natureza em si, representada, muitas vezes, pelas temporadas passadas no Rio Araguaia. Numa tradição que começou na sua infância e perdurou até a vida adulta de seus filhos, Anajuly perdeu as contas de quantos pores do sol viu no leito rio, quantos ribeirinhos e aldeias conheceu de perto e do quanto o impacto ambiental que viu crescer ao longo dos anos influenciou seu desejo de empreender com um propósito mais amplo.

Foi nesse contexto que começou a se aprofundar na temática e descobriu que, para grande parte do país, a importância do Araguaia e das nascentes goianas, assim como seu impacto no ciclo das águas de outras regiões, era desconhecida. Por isso, uma de suas primeiras iniciativas empreendedoras na direção de uma educação sustentável foi a criação do projeto Vovô Gero, uma plataforma de histórias educativas infantis focadas nas escolhas conscientes. Já são mais de 40 histórias e 17 mil seguidores nas redes sociais, além de projetos de parcerias que transformarão todo esse conteúdo a respeito do cerrado em livros com distribuição nacional.

“O nome Vovô Gero é uma homenagem ao meu avô Rogério, que marcou minha infância”, conta a empresária. “Meu desejo é que, através das histórias, consiga estimular uma educação voltada para a cultura do servir com alegria, de autorresponsabilidade, de utilizar as riquezas naturais de forma consciente e sustentável.”

Já trilhando a estrada de um empreendedorismo comprometido com uma cadeia sustentável, esse ano Anajuly foi convidada a participar de uma palestra no II Brazil Jewelry Week, onde conheceu o projeto Farei Joias, ministrado por Adeguimar Arantes. Ali, encontrou uma possibilidade de enveredar novamente pelo caminho da criação, mas ressignificando seu projeto criativo e remodelando seu plano de negócios.

“É muito importante a gente ter o belo na vida, a contemplação. Admirar o que nos rodeia com dignidade deveria ser uma opção para todas as pessoas. Mas pra mim é fundamental que, além da arte, a joia seja eco. Ela precisa ter um complemento, passar uma informação real, não só romântica. O Farei Joias foi fundamental e me deu o mais importante ponto de partida para o conceito na joalheria: ter ética e comprometimento com sua identidade.”

Em linha com sua atuação e origens, e com o objetivo de levar, com urgência, a realidade de seu bioma natal aos olhos de outras pessoas, Anajuly inspirou sua primeira coleção nas nascentes do Rio Araguaia, sua fauna e flora. Além de focar na cadeia produtiva e ter em vista projetos complementares, como expedições ao rio para evidenciar o trabalho de produtores engajados na recuperação das nascentes através do plantio de mudas nativas, ela conta que pretende fazer um editorial in loco, e que é preciso ser parte da solução.

“Há muita urgência, mas precisamos focar no que pode ser preservado, no que pode ser recuperado. Já se banalizaram os problemas. Precisamos focar nos trabalhos feitos para que o que existe ainda possa ser salvo, e há muitas coisas que podem ser replicadas e multiplicadas. Há soluções”, afirma.

Focada no slow jewelry, Anajuly exporá suas peças – todas únicas e com registro – inicialmente em São Paulo, em galerias de arte e eventos do setor. Para a empresária, em qualquer ramo de negócios, é fundamental o comprometimento com a cadeia produtiva, através da pesquisa necessária e do desenvolvimento de soluções reais com os fornecedores. Na visão de Anajuly, o lucro é uma consequência dessa responsabilidade.

“O importante na vida é você saber que você faz algo que fica, alguma coisa de bom, uma semente que sirva pras outras gerações. É o olhar pro futuro, é uma jornada”, finaliza.

 

Serviço

 

Projeto Vovô Gero

https://www.instagram.com/vovogero/

 

Anajuly Carneiro Joias

https://www.instagram.com/anajulycarneiro/